Braga avança com sinalização e preservação do Caminho da Geira

IES CHAMOSO LAMAS

O Município de Braga pretende avançar a partir da próxima primavera com a sinalização e preservação do Caminho da Geira e dos Arrieiros, no âmbito de um programa mais vasto que abrange também outras rotas jacobeias que passam pelo concelho.

“Porque nos últimos anos houve menos gente a circular, fruto da retração provocada pela pandemia, e em resultado das recentes intempéries”, será necessário intervir de novo na preservação dos caminhos de Santiago, após o “investimento substancial” feito há quase cinco anos, anunciou no sábado, dia 7, o adjunto do presidente da Câmara de Braga, António Barroso.

OZOCOgz Deseño Galego

O responsável, que representou o presidente do município, Ricardo Rio, na sessão de tomada de posse dos  órgãos sociais da AEJ para o biénio 2023/2024, no Auditório do Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa, adiantou que, “assim que venha a primavera”, a autarquia “conseguirá preservar os caminhos Central antigo e de Torres”, a confirmar-se a necessidade de uma intervenção.

Mas a autarquia “já tem em mãos outros dois grandes projetos de caminhos”, a desenvolver com a AEJ, adiantou o adjunto do presidente da Câmara de Braga. O município “quer agora, efetivamente, avançar com o trabalho de sinalética e de preservação” do Caminho da Geira e dos Arrieiros, que “ficou adiado” devido à pandemia, bem como em relação ao Caminho de São Rosendo, que “também tem espaço nas rotas jacobeias”, explicou. A via Mariana, que liga o Sameiro e santuários marianos na Galiza, será o objetivo seguinte.

Noutra área, António Barroso revelou que a autarquia “está empenhada em fazer o projeto para a instalação de um albergue de peregrinos na antiga sede da Junta de Freguesia da Cividade”, em colaboração com a AEJ e a União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade.

Para já, importa “perceber o que está em causa, até porque há algumas condicionantes, pois o espaço é na zona histórica”, mas é “um investimento que interessa para peregrinos, para as rotas jacobeias, mas também para albergar outras pessoas em caso de emergência”, explicou.

Na sessão de tomada de posse, o novo presidente da AEJ, António Devesa, destacou o orgulho dos associados no crescimento da associação, mas alertou que “acarreta cada vez mais responsabilidades, tanto ao nível de organização e comunicação interna, como na gestão das expetativas de todos os peregrinos, associados ou não, que veem na AEJ a entidade que deve defender intransigentemente o superior interesse do peregrino e do Caminho Português de Santiago”.

E, como salientou António Devesa, “defender e promover o Caminho não é pura e simplesmente colocar o maior número de pessoas a caminhar. É, sim, fazer com que os que partem o façam preparados e imbuídos dos reais valores associados ao culto e à peregrinação jacobeia”.

Por outro lado, “só trabalhando em conjunto, aprendendo com o testemunho e valorizando o trabalho desenvolvido por todas as associações e entidades jacobeias, é possível potenciar a defesa do peregrino e do Caminho Português de Santiago”, referiu.

Além de António Devesa (Braga), a nova direção é constituída pelos vice-presidentes Nuno Rodrigues (Barcelos), Luís Miguel Sampaio (Braga) e Leonel Pereira (Guimarães), enquanto o presidente da assembleia geral é Adelino Oliveira Martins (Braga), o tesoureiro Manuel Fernandes (Braga), tendo como secretários Paulo Silva (Amares), Carina Frazão (Fátima), Guilherme Ribeiro (Braga) e Arlindo Garcia (Lisboa).

Caminho a crescer

O Caminho da Geira e dos Arrieiros começa na Sé de Braga e passa pelos municípios de Amares, Terras do Bouro, Castro Laboreiro e Melgaço, entrando na Galiza pela Portela Homem. Nos últimos seis anos foi percorrido por mais de três mil peregrinos, um terço dos quais em 2022;  sobretudo de Portugal e Espanha, mas também de Itália, Inglaterra, Alemanha, Croácia, Ucrânia, Rússia, Polónia, Brasil, EUA, Austrália ou Países Baixos.

Este itinerário foi apresentado em 2017 em Ribadavia (Galiza) e Braga, reconhecido pela Igreja em 2019, reconhecido em publicações da associação de municípios transfronteiriços Eixo Atlântico (2020), do Turismo  do Porto e Norte de Portugal (2021) e foi um itinerário oficial da Peregrinação Europeia de Jovens do Ano Santo Jacobeu 2021/22.

O percurso tem 240 quilómetros e destaca-se por incluir patrimónios únicos no mundo: a Geira Romana, a via do género mais bem conservada do mundo, e a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés. Além disso, o seu traçado é um dos escassos cinco que ligam diretamente à Catedral de Santiago de Compostela.